quarta-feira, 19 de junho de 2019

Resistência


Entre os dentes a faca
Afia a alma nos amolares
Da faina sob os fardos
De esperanças raras.
Àh, os sorrisos bailantes
Dos jovens idealistas
Nas passeatas de antes,
Nas trincheiras das ruas,
Nos pátios e praças
Onde as liberdades se encontram.
Eis que os ossos
Da terra profunda clamam
A palavra “vida”
A carne do tempo perdido.
Entre o esquecimento de agora
E o altar do futuro
Um rio de sonhos
No deserto de silêncios evapora.
Nem tudo, em fim, é tristeza e dor
Sendo fértil o coração
Uma semente há de resistir
Aquela que eternamente
frutifica em amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O lançamento do novo livro de contos do escritor Antonio P. Pacheco, "O Universo no Espelho - Aqueles Outros e Suas Versões das Históri...