segunda-feira, 4 de junho de 2018

Perdas e Ganhos

Ruminar dores de amores abandonados
Em noites sem lua e em manhãs nubladas
É cultivar cardos nos jardins da alma
É semear fogo em campos de alegrias.
Derramar lágrimas em despedidas
De véspera anunciadas
É lançar pérolas ao pântano
É despetalar rosas de esperança.
Antes o coração franqueado
Aos amores vindouros
Em manhãs de verão ensolarado
Em noites estreladas de inverno.
Quero plantar na alma
As sementes de sonhos felizes
E recobrir o corpo de chuvas de risos
Agasalhar a alma em abraços de chegada.
Pois que libertar a paixão
- Que se entristece em ficar
É tão bom quanto receber o amor
- Que não deseja partir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O lançamento do novo livro de contos do escritor Antonio P. Pacheco, "O Universo no Espelho - Aqueles Outros e Suas Versões das Históri...